sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Se eu pudesse explicar com palavras
O furacão do meu peito
Se eu pudesse desenhar
Para facilitar até o que eu não entendo
Falamos juntos coisas separadas
vivemos separados coisas juntas
e uno é o tempo de nossas vestes
distâncias e lugares:
sob o teto sem fim de nossa sombra
caminham nossas sombras de mãos dadas.
nem sei mesmo dizer o que mais quero:
se é ficar e morrer dessa tristeza
ou ir embora e morrer de tua ausência.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

silencio que fala

PIOR DO QUE UMA VOZ QUE CALA, É UM SILÊNCIO QUE FALA... Então, parei para interpretar a frase acima e ... imediatamente me veio à cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis pois, você sabe, o silêncio não é dado a amenidades. Um telefone mudo. Um e-mail que não chega. Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca. Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas. O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão. Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim. É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas indicam uma tentativa de entendimento. Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo. Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado. Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar: " Diz alguma coisa, mas não fica aí parado me olhando! " É o silêncio de um mandando más notícias para o desespero do outro. É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo. Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua, o silêncio é um bálsamo. Para a professora de uma creche, o silêncio é um presente. Para os seguranças de um show de rock, o silêncio é um sonho. Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz. O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto. É quando ninguém bate à nossa porta, não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim você entende a mensagem.

escrito em 03 novembro 2006 11:02 AM

Leviandade

A leviandade tornou-se o alicerce de muitas atitudes e ciclicas escolhas. Já não amamos ou odiamos pelo que somos ou fundamentado em que acreditamos. Nem sabemos mais quais são os valores que nos guiam e as verdades que nos conduzem. Dissipamos o bom senso, a noção de limite e a capacidade de crítica. E neste ritmo, nos arriscamos em sentimentos levianos, que não existem, que não têm raízes. Sentimentos precisam ser cultivados, nutridos e julgado como algo importante. E o que é importante precisa de dedicação, delicadeza, intensidade, tempo. Necessita de troca, partilha, disponibilidade, experiências em comum. É o exercício do sentir que torna real o sentimento. Mas abandonamos nossas referências sobre o que é sentir de verdade, e acreditamos que temos muito mais direitos e muito menos deveres nessas relações levianas e vazias que insistimos em alimentarmos. E toda vez que nos despojamos do que pode ser criativo, produtivo e transformador, chegamos mais perto das tragédias e da insanidade, das ações impulsivas e das escolhas desesperadas. Tropeçamos em nossas próprias armadilhas e nem percebemos. E o que temos feito?!? Leviandades... nada mais que leviandades... maiores, menores, homéricas, imperceptíveis... não importa o tamanho...

Temos cometido inúmeras leviandades e continuamos julgando nos os melhores, os mais corretos, os mais repletos de razões.

.

.

.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Pra não dizer que não fui feliz

As palavras
Já não servem mais.
Nem os olhares
Nem o aperto de mão
Nem o abraço
Nem o beijo.
Virou tudo um jogo
Que somos obrigados
A jogar por toda a vida.
O sentimento não toca mais a pele
E os pelos.
Não há temperatura ao redor
Que derreta a mentira.
A simplicidade de não ligar
Se tornou Muito chamativa.
É mais simples
Deixar passar
Do que negar.
as risadas e choros se misturam.
Numa valsa Louca e permanente
Entre tentar entender
E virar as costas.
As palavras se tornaram
Tão Fracas
Repetitivas
Repetitivas
e ...Desnecessárias?
A mão que afaga
é a mesma que apedreja.
Busquei nas Estações alguma paz:
Nascia a flor, mas logo já morria,
Do frio – calor, das horas – fantasia…
Tudo um lampejo! Tudo tão fugaz!
.
.

Perdida

Estou aqui doída
Perdida, sem saber
o que fazer.

Estou aqui, tão longe,
ningúem responde
Num deserto abrasador

Perdi a minha solidão
em algum colchão
e nem isso tenho para olhar

Estou aqui,mas tanto faz
Já não sei por onde começar
nem por onde parar.
É difícil conviver com uma ilusão porque ela não é sim nem não.
É meio termo e o meio termo atormenta por suas possibilidades.
As vezes as possibilidades acabam, as vezes não…
http://fernandocarrara.blogspot.com.br/2008/10/amores-impossveis.html

sexta-feira, 3 de abril de 2009

"Viajo ao interior
e me perco em diversos
espaços vazios
onde são escassos
a sabedoria e o pensar"

quarta-feira, 18 de março de 2009

Colher
O que não se Plantou.
Explodir
Além do que imaginava.
Tela pintada
Com cores da moda.

A vida, o mundo e a roda.

Uns josés , umas marias,
Uma tenda
Onde havia
Algum tipo de esperança.
O sorriso ingênuo de uma criança,
E a banca
Jogando forte.

A vida, o mundo e a morte.

Um resumo definitivo.
Amar não é verbo transitivo,
Talvez por isso
Eu busque um motivo
Para tentar entender,

A vida, a vida, a vida
Ávida
Por Você.
Tristeza ou alegria...
é sempre por amor.
Há sempre, no coração,
um espaço reservadopara as coisas da dúvida.
Do meu Amor nasce a incerteza
Sei bem o que quero
Mas não sei o que posso ter.

terça-feira, 17 de março de 2009

O vento me trouxe uma canção diferente

me fez acordar, sentindo na cama o frio da ausência

quando tocou meus cabelos desalinhando-os

me fez lembrar seu hálito suave tocando minha nuca

.

.
saudades é estar presente na ausência e vencer através do silêncio é aproximar-se na distância e sentir quietude na alma dormindo nos braços da solidão... .

domingo, 11 de janeiro de 2009

"A vida não é nada mais que a explosão ocasional de risos sobre um interminável lamento de dor".

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

"Teria sido feliz se todo o regimento, pioneiros e todos mais, tivessem provado de seu doce corpo e eu nada soubesse. Oh, agora para sempre, adeus, minha mente tranqüila! Adeus, satisfação!”.

Otelo - Shakespeare

sábado, 27 de dezembro de 2008

Condenada injustamente fui, pelo roubo de uma galinha, oras se me julgas culpada e me condenas por uma galinha, pois então condenada que sou roubarei o galinheiro inteiro, não possuo a modéstia de um simples delito.
.
Meu espelho reflete uma figura que desconheço,
Com os olhos enegrecidos pelo rímel borrado

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Sentimentos a deriva....
basta avançar para viver...
A noite cai no silêncio inquietante de um só instante...


.
O barulho que tua ausência
transcorre em minha alma
é ensudercedor

Me transformo em uma via de mão única
e sinto o coração dilacerar


Então consigo perceber...que você se basta."

.

A estrela da manhã

Eu quero a estrela da manhã/Onde está a estrela da manhã?/Meus amigos meus inimigos/Procurem a estrela da manhã/Ela desapareceu ia nua/Desapareceu com quem?/Procurem por toda a parte/Digam que sou um homem sem orgulho/Um homem que aceita tudo/Que me importa? Eu quero a estrela da manhã... Te esperarei com mafuás novenas cavalhadas/comerei terra e direi coisas de uma ternura tão simples/Que tu desfalecerás/Procurem por toda parte/Pura ou degradada até a última baixeza/Eu quero a estrela da manhã”( A estrela da Manhã- Manuel Bandeira).

Nessa noite perdi o sono bem no final da noite e no começo do dia que nascia. “Nova aurora a cada dia”. E lá estava a estrela da manhã, estrela d'alva, a última estrela que ainda permanecia acordada. Vênus a estrela da manhã que lembra a deusa do amor na mitologia romana. Descrita por Camões em Os Lusíadas como uma divindade que apóia os portugueses em suas navegações:
“Os crespos fios d'ouro se esparziam/Pelo colo, que a neve escurecia;/Andando, as lácteas tetas lhe tremiam,/Com quem Amor brincava, e não se via;/Da alva petrina flamas lhe saíam,/Onde o Menino as almas acendia;/Pelas lisas colunas lhe trepavam/Desejos, que como hera se enrolavam...”
Antes de dormir li o diário da encantadora e fiquei perturbada com as palavras da moça que não mora mais aqui: “Eu sou de livrarias. Freqüento-as todas da cidade. Vou a Livraria francesa da Barão de Itapetininga depois que saio do meu curso de teatro.Como eu queria que você me encontrasse numa delas, eu com um livro de Drummond numa das mãos e você com aquele sorriso que só eu sei e segurando um buquê de margaridas pra me dar.Muitas vezes quando você vê uma estrela brilhando no céu, ás vezes ela nem existe mais...quando você vier me encontrar procure meu nome nas pedras da calçada.Eu vou deixar pistas de mim por muitas ruas da cidade...de repente a vida pode ser uma viagem, o mundo todo cabe no meu coração...vem pra mim que eu estou te esperando!”
Hoje enquanto escrevo estas palavras, minhas e dos meus amados poetas, chove em São Paulo e quando chove em São Paulo, São Paulo é ainda mais São Paulo...

“ Há de surgir uma estrela no céu cada vez que ocê sorrir....Há de apagar uma estrela no céu cada vez que ocê chorar...o contrário também bem que pode acontecer...de uma estrela brilhar quando a lágrima cair...Ou então de uma estrela cadente se jogar só pra ver a flor do seu sorriso se abrir”

“Quando saia de casa/ percebeu que a chuva soletrava/ uma palavra sem nexo/na pedra da calçada./Não percebeu/que percebia/que a chuva que chovia/não chovia/na rua por onde andava./Era a chuva que trazia de dentro de sua casa;/era a chuva que molhava/o seu silêncio molhado/na pedra que carregava./Um silêncio feito mina,/explosivo sem palavra,/quase um fio de conversa/no seu nexo de rotina/em cada esquina/que dobrava./Fora de casa,/seco na calçada,/percebeu que percebia/no auge de sua raiva/que a chuva não mais chovia/nas águas que imaginava....” (Mário Chamie- Chuva interior)

.



domingo, 14 de dezembro de 2008

Brincadeira


Em homenagem a Mané eu vou tentar responder tudo com muita sinceridade....
http://divagacoesdemane.blogspot.com/2008/12/brincadeira.html

Regrinhas


I. colocar uma foto individual nossa;


II. escolher uma banda/artista;


III. responder às questões somente com títulos de canções da banda/artista escolhido;


IV. escolher ao menos 2 pessoas que respondam ao desafio, sem esquecer de avisá-los.



I. A playboy detem o uso exclusivo de imagem



II. Los Hermanos



Respostas:


1. Es Homem ou Mulher? A Flor


2. Se Descreva: Além Do Que Se Vê


3. O que as pessoas acham de vc? Sentimental


4. Onde queria estar agora? Do Lado De Dentro


5.Uma frase: Todo Carnaval Tem Seu Fim


6. Como é a sua vida? É De Lágrima


7. Namorando, Casado ou Solteiro? Tão Sozinho


8. O que pedirias se tivesse só um desejo? Ultimo Romance



KANA
Vanessinha

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Hoje matei um poeta.
Mas não um qualquer.
Ele era triste e bêbado; era poeta.
Cravei-lhe a faca no peito que dizia estar machucado.
Caiu com a mesma comoção de seus textos e sangrou com a mesma extravagância:
Viveu poesia, morreu por não mais fazê-la.


"ORA RAIOS E PRA ESCREVER PRECISA SER TRISTE... DANE-SE PESSOA E VINÍCIUS, EU ESCREVO ALEGRIA"
Inspira alegria,
reinventa poesia,
eterna e doce
essa mania
de poetar
glórias e
magia.
Confiando segredos no sol enquanto me visto de lua. —Pois, se por estrela, me digas onde anda e te direis quem és...

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Ninguém me canta
me encanta
nem me vê
do jeito
que me vê
de que adianta
ter olhos
e não saber ver
ter voz
e não ter o que dizer
digam o que disserem
façam o que quiserem
não dizem
não vêem
não fazem
ninguém me canta
ninguém me encanta.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

redundância

Seria difícil amar,
seria difícil viver,
seria difícil entregar,
se não fosse o amor,
se não fosse a verdade,
se não fosse a vontade.

Seria difícil amar,
se não fosse o amor,
seria difícil viver,
se não fosse a verdade
seria difícil entregar,
se não fosse a vontade.
Fingir, esconder, iludir.
instransitivos
intransigentes
tão pouco exigentes.

Amar, doar, permitir.
transitivos diretos
complacentes
impertinentes.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

"....Pedir um abraço, cobrar um beijo e exigir carinho, torna o que deveria ser espontâneo em obrigação. O é sentimento livre. A cobrança aniquila com a possibilidade de oferecer e de receber o afeto. O que é voluntário vai parecer obrigatório, o que é escolha vai parecer induzido, o que é vontade vai parecer condicionamento. Carinho são dados e conseguidos de maneira espontânea. Nenhum sentimento pode ser imposto, assim, não há como falar em uma conduta ilícita encenadora de dano injusto, ninguém pode ser condenado pela falta de vontade de dar carinho, de ser afetuoso. Ninguém é culpado por não sentir algo, por não corresponder a determinadas sensações e sentimentos. Por que transformar a convivência em coleta de impostos? Não podemos criar expectativas de retorno, ou simplesmente exigir recompensas daqueles que foram beneficiados com as nossas afeição, mas temos o dever de registrar a certeza de que a gratificação maior deve ser vivida no nível profundo da consciência....."
meu coração partiu
você era o meu coração,
partiu e foi embora,
ficou o meu.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

A leveza da eternidade proferida pelo vento
ao relembrar o amor que se encanta na nuvem da incerteza
o no suave toque do vento em meu cabelo
lembrando o seu halito a me refrescar
o toque do vento no meu corpo
singela lembraça das suas mão em mim entrelaçadas
a nossa eternidade na canção do vento
esse algoz meu, que me mata de saudade.

domingo, 19 de outubro de 2008

Não é quando te tenho aqui que preciso de matar as saudades. É quando me falta o teu toque, a tua pele, o teu calor que penso em arrancar a angústia do peito e sossegar o coração na espera....
Meia celha de lágrimas.
Meio copo de água
Meio colher de açucar
Um quarto de sal
Meia colher de mágoa.
Meio coração desolado
Meia dor a angustiar.
Meio ser enganado
Numa mulher inteira a sucumbir.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

é complacente, mas a vida envelhece... a vida se enfada em mãos pálidas de vontades não afogadas... a vida extravasa suas mágoas no alvoroço do cotidiano morto... rasga planos, como se rasgasse a si... estilhaça sonhos, a tempo de pesadelos...a vida resmunga em cantos, um barulhinho que nos tornam surdos com o tempo.... é preciso sangue frio... um pouco de lágrima, um pouco de mágoa... e muita água de chuva... pra lavar a alma.. pra inundar... e salvar só o que vale... e poucas são as coisas que valem... além do necessário...do sóbrio...

lágrimas

vertem pela voz
sem rumo
ásperas
nó...
na garganta,
nas estranhas,
pó.

domingo, 5 de outubro de 2008

saudades
é estar presente na ausência
e vencer através do silêncio.
é aproximar-se na distância
e sentir quietude na alma,
dormindo nos braços da solidão...
.
.
.

Silêncio

O silêncio guarda todas as posses
do murmúrio ao grito,
da folha caindo ao sismo
o silêncio grita numa imagem,
na multidão é invisível.

O silêncio incomoda.
Quando desperta na hora da cala
e adormece na hora da fala,
em sua eloquencia afônica.

Esconde se na reticência,
e fala na falsa entre-linha,
O que os olhos não veêm
e os ouvidos não ouvem.

Sempre haverá uma percepção,
Em resposta de quem cala,
Ilude, desilude, omite, difunde,
Em alucinante confusão.

O silêncio encontra-se nos extremos
ainda que benéfico ou infesto,
o silêncio, esse intangível
brada em nossa alma.
*
*
*

sábado, 4 de outubro de 2008

Vida
Para JOY

Anseio a vida como um doente terminal .
Vivo com a pressa de quem não espera um amanhã.
Tumultuo o viver por não esperar o tempo
que a vida necessita para ser vivida .

Não consigo simplesmente viver
Busco sempre o novo, algo grandioso
algo antes nunca vivido
e simplesmente não vivo afinal,
não possuo a modéstia para viver um dia após o outro .

De forma assustadora eu vivo
não espero o tempo, para que se
adaptem a esta convivência.

Vivo grandes amores,
só não maiores pelo tumulto
desta minha louca forma de viver.

Vivo paixões avassaladoras,
mas, de forma unilateral
não espero que a pessoa se apaixone por mim.

Um dia não tumultuarei a vida
e simplesmente, viverei.
.
.
.

sábado, 27 de setembro de 2008

Normal é ser feliz

.
.
Normal é ser feliz, é ser fiel à Alma...
É ser simples e natural, mesmo que essa simplicidade se vista de muitas cores e sabores. Simples é proveniente da sua verdadeira natureza, ímprobo é tentar se enquadrar a algo que não seja você. Você pode até aprender a fazer isso e a imaginar que se adapta em alguma forma que esteja na moda, mas logo se cansa e busca outra e outra até descobrir que não precisa se adaptar a nada para ser feliz.
E aí você descobre que ser feliz é muito mais simples e natural porque não agride em nada a sua verdadeira natureza.
.
.
.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O teu olhar nos meus sonhos
é o encontro do resplendor
esqueço da reticência
o som do meu interior,
o começo da fantasia,
se você não vai....
se você não fica ...
.
.
.
agarrado a um canto,
dentro daquelas pupilas quietas
onde me atiro
Perco-me
Encontro-me
me desfaço assim
simples.
certo
forma perfeita
em deformidades de meia-luz
parte e meia.
toda
concreta
pronta.
.
.
.
O que eu quero?
E o que vc quer?
Será o mesmo ?
É o que diz seu olhar?
Se for me beije quando eu acordar.
.
.
.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

SALVE JORGE

.
.
Mostre-me novo caminho
Nas tuas pegadas claras
Trilhe o meu destino
pelas estradas aplainadas

protege com seu escudo
com reflexo de sua espada
tuas armas na medalha enluarada

salve daquilo que não se entende
perigos e gumes afiados dos descaminhos
Contra o quebrando de uma paixão

Jorge me guarde no coração
Que a malvadeza desse mundo
As vaidades dessa terra
é grande em extensão.
.
.
.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Babilônia sou eu...
um jardim suspenso de vida avulsa que se perdeu...
Não me pergunte se isso tem cabimento... se tivesse, caberia em algum lugar...

TEMPO CERTO NO INCERTO

Tempo....Tempo certo
Vinte quatro horas para um novo dia
Trinta dias para um novo mês
Nove meses para uma nova vida

Tempo... tempo incerto
que nos impusona a caminhar,
arrasta para o futuro indefinido
e Viver uma nova vida

Tempo... Tempo sentido
Que tarda quando está longe
Voa quando está perto
e apara as arestas do desejo

Tempo... tempo esperado
O que está longe chegar
Para Um novo recomeço
e ter tudo a seu tempo

Tempo ... tempo entendido
as coisas caminham como devem caminhar
Esse que é fruto da paciência
e nos ensina que tudo tem sua hora

Tempo... Tempo perdido
E o que foi feito dele,
As perdas de seus momentos.
na ansiedade do amanhã

Tempo... Tempo silenciado
A ouvir o coração
Em seus duplos sentidos
no tempo a ser vivido

Há tempo certo
na lucidez do incerto
na dor que se sente
na paciência que se espera
no presente que se perde
no silêncio do tempo

NEM ANJO NEM FERA

O som da felicidade, já não ouço mais.
Nem pássaros nem canção.
O silêncio, veio pra ficar.
Passos lentos, em falso,
percorrem este chão sagrado,
Nesse indeciso destino.

Não quero o passado,
nem o tempo que não volta mais.
Quero o futuro certo,
o futuro, que eu escolhi,
Nem morte, nem dor,
Quero sentir da vida o calor.

Sorrir até perder o ar,
abraçar até não suportar.
Quero viver, Sonhar, crescer,
florecer em um novo tempo.
Quero ser a nova era.
Nem anjo e nem fera.

Quero ser eu.
Que me olhe,
sem passado, Sem presente,
quero ser semente, futurecer.
Renascer em mim.
Me enseja, me atente

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Vida entre o inferno
e o paraíso.
Sem meio-termo possível
Humano pêndulo afetivo
Indo e vindo
Vindo e indo
Um dia acordou curado.
a vida será música
ausência
saudade
descrença
ou nada mais
que o nada mais
que resta numa noite
entre a insônia
e o esquecer-se e dormir?

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

alguma palavra

André Dick
alguma palavra,
fragmento, saudade,
cheiro que,

quando a porta
se fecha, apenas
deixa de sê-lo,

a não ser —
enquanto existe —
costuma durar,

ficando, às vezes,
na roupa, no cabelo,
na manga da camisa

como cheiro de cigarro
sem a pretensão
de existir.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

um dia minhas mãos irão alçancar aonde seu céu pode chegar

quinta-feira, 31 de julho de 2008

A mão que acorda Um corpo com os movimentos adormecidos. A mão que acolhe um membro Quase “sem vida”. A mão que aquece um coração Com esperança A mão que aplaude Os primeiros passos de um longo caminho. A mão que seca as lagrimas De ohos aflitos. A mão que toca e só de tocar é capaz de fazer surgir uma nova vida. Essa é a nossa mão, Que como uma varinha de condão, Desperta a magia Do movimento

terça-feira, 15 de julho de 2008

então as coisas permanecem com são,
há alguém que me faz duvidar disso
o meu errado é o que me incomoda
ainda tenho esperança de algo
minhas idéias sempre se misturam,
minhas palavras perdem todo sentido,
mas ainda assim não me calo;

domingo, 13 de julho de 2008

Eu agradeço a Deus tudo oq vivi, nada na vida vem por acaso, assim como por motivo vem por motivo vai, Olho através das janelas do tempo, e só consigo enxergar um amontoado de horas, recheadas de gestos sem sentido; escolhas que construíram um imenso abismo entre minhas mãos e meu coração, entre a música da Alma e o silêncio que me obriguei. Olho para o que fui, e só consigo enxergar, o que não me permiti ser. Tudo oq vivi foi feito pra me tornar mais forte e me preparar para o que melhor vem a frente, e dessa forma aprender a valorizar oq recebo do CEU. Se errei errei sim por ser humano, e Ser humano - é o suficiente para trilhar todos os caminhos; ser humano significa aprender com a vida, compartilhar com o mundo, as nossas inquietações, medos, fé, certezas; ser humano significa sentir medo e vergonha, amor e raiva, força e insegurança... tudo isso, plenamente, dignamente; ser humano significa não aceitar ser menos que humano e não imaginar a imensidão dessa descoberta. Então aprendi que posso amar, viver, sorrir sofrer, chorar, pois me engrandece e me faz forte para o futuro. Para um futuro sem dor sem magoa sem ressentimento.... oraas como dar valor a isso se antes não conhecia, senão sabia oq era chorar oq era sofrer, oq er a miséria humana, a covardia o egoismo????Meu nascimento não foi anunciado por nenhum profeta, só um pai e uma mãe orgulhosos e cheio de sonhos; nunca vi fantasmas, ou discos voadores; não sonhei com nenhum mestre ou avatar que me desse a tarefa de salvar a humanidade; mas continuo acreditando que o caminho que me levará a trilhar essa estrada encantada que a vida me convida, todos os dias, poderá me levar até a fonte de todos os mistérios humanos; essa fonte mora em mim, no meu pedaço mais humano - o coração. Pois é só isso que espero nessa vida alcançar os corações e deixar um pouco de luz e alegria q quem quer q seja, uma ou 1000 pessoas.Sei que não posso reescrever o passado, mas só eu posso escrever um presente melhor; não posso apagar as pessoas que me magoaram, mas posso apagar as mágoas; não posso realizar os sonhos que abandonei, mas posso resgatar minha capacidade de sonhar; não posso desconstruir a infelicidade, mas posso construir uma nova felicidade; não posso desfazer as omissões ou as escolhas erradas que fiz, mas posso me perdoar e recomeçar uma nova história com mais respeito e atenção ao meu coração.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Sou assim; Um pouco de tudo. Um pouco de menina. Um pouco de mulher. Um pouco delicada. Um pouco malcriada. Um pouco discreta. Um pouco atrevida. Um pouco de poeta. Um pouco de moleca. Ás vezes sou como uma folha caída levada pelo vento... Outras, sou como uma árvore frondosa que não se abala com nada... Sou pobre e sou rica. Sou derivado de mim mesmo. Uso adjetivos para me modificar... Do verbo só tenho a palavra... Uso pronome quando não quero me identificar. Sou uma divisão exata de mim...
Na noite escura a confissão que fiz eu reafirmo,
o que eu te disse em momentos incertos eu confirmo
sei bem que sou inquieto
e torno todos assim,
bem sei que minhas palavras são armas
pois eu enfrento a paz e a segurança
e as leis mais doutrinadas
e por me haverem todos rejeitado
eu não respeito e nunca respeitei experiência,
conveniência, nem maiorias, nem o ridículo,
mas qual será nosso destino
ser vitoriosos
ou totalmente sufocados e vencidos.
todas as relações humanas,
todos os sentimentos,
todos os pensamentos
Tudo é mentira neste mundo
Todas as mentiras e as verdades
tudo é mentira
será mentira o que digo

SEREIAAAAAAA FOREVER




SEREIA
Oh! Vulto escultural, por que caminhas
Qual deusa majestosa à beira mar?
Teu encanto fatal a desfilar
Penetra fundo nas entranhas minhas
Como veneno da cobra a destilar.
Deste oceano azul, ondas branquinhas
Beijam teus pés, rainha das rainhas
Ao por do sol, momento para amar.
Serás acaso o mito da sereia
Andando sedutora sobre a areia
A ver a lua cheia aparecer?
Fugaz imagem, pura fantasia
Eterna busca da mulher que um dia
Imaginei que iria conhecer?

domingo, 29 de junho de 2008

Há que se querer,
há que se cuidar,
há que se falar
Há que se cantar,
há que se encantar,
há que se melar,
há que se derramar
em verso e prosa...
Há que se confiar os seus mais úmidos segredos,
há que se ouvir...
Há que se ter coragem de mostrar todos os seus lados,
se expor por inteiro,
sem medo,
sem apreensão...
E depois, degustar, sorrir e bendizer....

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Volúpia...Prazer...
Ter tua pele,
desvendar teus segredos,
te amar sem medo...
Sentir você chegar,
com sorriso maroto
e se entregar....
eu a brincar
a te provocar
e te deixar louco pra me tocar...
Te chamar, e ao mesmo tempo te empurrar...
Ver tua respiração mudar,
Te abraçar e sentir
teu coração acelerar....
Me entrelaçar....
E amar...

domingo, 8 de junho de 2008

Faz quatro anos que mudei a minha vida!
Faz dois meses que a minha vida foi mudada!
Mais pobre agora e mais rica, talvez...
a partir de certo ponto de ruptura
minha vida não é como antes.
Tal barco num riacho manso, deixo-me ir!
Não sei para onde vou, mas estou a caminho
.
.
.
na noite fria cheia de corpos dissecados
e mentes vagas nas ruas escuras de ódio e gozo
vagamos por entre florestas de pessoas
começando o que já acabou
o halito frio que toca os olhos fechados
a felicidade falsa em vários braços
dentro da alma há universo inverso,
a tristeza está metade repleta ou metade vazia?
eu bebo pra esquecer
e vivo pra viver
Em vão, buscamos nós mesmos no outro,
o outro em nós mesmos
sempre a mesma história de partida e de chegada

.
.
.
.
Em algum ponto me perdi... tento me achar em um caminho que nunca irei me encontrar, tantos corpos, tantas bocas, tantos retalhos de prazer... uma insônia, uma tempestade que ronda...gelada, vazia, alquebrada de emoções, satisfeita nas minhas ilusões, distante de carinhos verdadeiros, e para quê?
Companhias não preciso mais
tantos corações que tenho abandonado...
*
*
*
vivo por assim viver
existe um vácuo doloroso,
um espaço vazio que anseia para ser preenchido
É preciso preencher o longo espaço entre a sobrevivência e a vida plena
percorro em uma rua deserta, cheia de gente
que cobrem tudo, preenchem, dão sentido ao espaço vazio
por isso vivo cada gota da minha vida,
preenchendo cada espaço,
vivo por assim viver

*
*
*

Quero cor, flores e paz
Quero ter e ser o que desejo
Quero enxergar onde não vejo
Quero fazer o que ninguém faz
Ainda que meu corpo negue
Meu espírito é livre, e segue
Corre pelos labirintos da vida
Buscando sua real saída
Não há mais mistérios
Nem cores que a retina não vê
Somos todos esses adultérios
Aos corpos nos quais ninguém mais crê
Não busco mais nada
Desejo apenas viver

sábado, 22 de março de 2008

Uma promessa de caminho retilíneo
Todos os espirítos que me guiam pelo cosmo
Todos os demonios que fluem no sangue
De-me o vinho em noite de lua cheia
Anjos que me despertam
Santos que me curam
Hereges que me tentam
Loucos que me sorriem
E ervas daninhas que adubam meu jardim
Dê-me uma definição, um caractere, um ponto.
E eu verei o infinito...
Toda fantasia tola
é um minímo do coraçao de serafim
O tempo só revela a mesmice
tudo aquilo que se repete
Coral de santidades avessas e diabólicas evoluções
Ainda descubro quem me invoca

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Disse-me o velho em sonho que não me assustasse pois na hora da batalha quem me guarda não haveria de me faltar. E fez uma pausa coçando a barba na ponta do queixo, deu uma baforada e me confidenciou que pancada em alma forte dói que nem pancada em alma fraca. Sofre-se igual: o forte e o fraco. O fraco agoniza, o forte se energiza.
Pancada em alma forte corta mas cicatriza. Machuca mas não mata.

Memórias Póstumas



Nem anjo e nem fera.

O som da felicidade já não ouço mais.
Nem pássaros e nem canção.
O silêncio veio pra ficar.
Tortura, pensamentos de um tempo que não volta mais.
Passos lentos e em falso, percorrem este chão sagrado,
Que agora piso.
Indeciso é o destino.
Como ficar em paz?
Não quero o passado, nem o tempo que não volta mais.
Quero o futuro certo, feliz, o futuro que eu escolhi,
Quero o futuro que eu mesma fiz.
Nem morte e nem dor,
Quero sentir da vida o calor.
Sorrir até perder o ar, abraçar até não mais suportar.
Quero viver.
Sonhar, crescer, florecer em um novo tempo.
Quero ser a nova era.
Nem anjo e nem fera.
Quero ser eu.
Que me olhem sem passado e nem presente,
quero ser semente, futurecer.
Renascer em mim.
Ouça, é o som do silêncio,
Me trazendo o tormento...
Me escondo de mim?
Talvez seja a solução.
Abre o mundo, me escondo no fundo de um coração,
Qualquer, vazio, sem medo, aberto para me receber.
Eu me escondo de mim, do mundo
Me ache, me leve, resgate,
Me salve, me eleve a alma.
Tire-me da escuridão.


quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Última postagem


Porque toda escolha pressupõe uma renúncia
Porque há que se saber separar aquilo que se escolhe daquilo a que se renuncia
Porque eles fizeram de suas vidas um eterno amor de verão
Porque eles encontraram uma forma de sempre voltarem um para o outro
"Não vai ser fácil mas eu quero fazer acontecer porque eu quero que seja com você. Mas se você prefere optar pelo caminho mais fácil, a escolha é sua."
(
James Garner , as Noah Calhoun)


Amor incondicional... é disso que trata o "Diário de uma paixão". Fala do amor de um homem por sua amada, mesmo depois que a velhice chega trazendo uma doença degenerativa que a faz perder a memória e esquecer quem é ele, esquecer a história dos dois. É a história de uma Paixão, sobre oportunidades perdidas, amadurecimento e a força de um amor duradouro. É a história de um amor sem fronteiras ou limites, que supera a doença e o passar dos anos. Noah faz de tudo para ter sua mulher de volta ainda que por alguns instantes. Ele nos faz pensar no verdadeiro sentido do amor. Nos faz pensar na frase; na doença e saúde... Isso é amor, assim é o casamento. Eterno para aqueles que verdadeiramente amam."

A bela "velhinha", de olhar triste e perdido, que vive num asilo em razão de ter uma doença degenerativa grave, que lhe rouba pouco a pouco o que resta de sua memória, vive em cada um de nós, pois dia a dia esquecemos aquilo que foi vivido. Com o passar do tempo esquecemos datas, momentos, fisionomias. Essa história me trouxe um medo impar, aquele de esquecer o que se viveu, momentos mágicos. Mas ao reler esse blog, como ele deve ser realmente lido, cronologicamente, percebo que nele ficou registrado a memória de uma vida, portanto servirá como um livro para relembrar momentos, bons, as vezes nem tanto, emoções e desabafos.

Portanto encerro aqui as postagens, mas com a certeza que as recordações ficaram eternizadas. E uma forma de voltar... eternizar na memória momentos.... uma história que se acaba mas que nunca será esquecida.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

SER FELIZ

Ser feliz é saber que vale a pena viver a vida
viver como ela é
É encontrar amor nos desencontros,
e alegria no anonimato
Saber que não é preciso percorrer desertos sem fim
Mas encontrar um oásis dentro da alma
se aceitar como um todo grandioso
ser feliz não é uma emoçao
É uma forma de ser independente do que se é
é não ter medo dos próprios sentimentos
Saber falar de si mesmo
Deixar a criança brincar
viver momentos poéticos
Saber viver primaveras de alegria
e invernos de sabedoria.
É sentir o sol radiante
A chuva, o temporal e o frio aconchegante
É viver o hoje, o presente
Viver sem chegada nem partida
entender o significado de cada momento
e saber que será infinito,
enquanto durar....
.
.
.
Desculpe plagear o poetinha no final.... mas sempre digo qto tempo dura o infinito???

terça-feira, 6 de novembro de 2007

"O encontro de duas personalidades é como o contato de duas substâncias químicas; se houver alguma reação, ambas serão transformadas." (Carl Jung)
.
.
O silêncio é o melhor remédio e, ler, a melhor atitude.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

O tempo é q nos faz pensar , que faz esperar, que cura as feridas, tristezas viram lembranças e os bons monentos boas lembranças
O tempo... o implacável tempo, que nunca para e nos impusona a caminhar, arrastando para o futuro indefinido sem imaginar para onde estamos indo
o tempo diz para nãoficarmos parado, que devemos agir ,
mas o tempo é incoerente e nos ensina tudo tem o seu tempo
as coisas caminham como devem caminhar ... tudo a seu tempo...
tudo que devemos ter, nos será entregue ao seu tempo...
bom é quando esperamos algo mas ele nos trás algo muito melhor

sábado, 27 de outubro de 2007

TRIBUTO AO TEMPO


Tudo o que vive não vive sozinho, nem pra si mesmo.
"Dizem que a vida é curta, mas não é verdade.
A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades.
E essa tal felicidade anda por aí, disfarçada, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde.
Infelizmente às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando nãos:
a viagem que não fizemos,
o presente que não demos,
a festa que não fomos,
o amor que não vivemos,
o perfume que não sentimos.
A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador;
quando se é piloto e não passageiro,
pássaro e não paisagem,cavaleiro e não montaria.
E como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.
"Não tenha medo do futuro, apenas lute e se esforce ao máximo para que ele seja do jeito que você sempre desejou"



"A morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos."





Autor: Norman Cuisins




algum momento de 2006

Quando me vi perdido
a minha esperança foi acesa
Nada fazia sentido, mas achei proteçao
Como uma criança fui protegida

Quando se apagaram as luzes
fui guiada no escuro
Como o sol cortando as nuvens
meu caminho se iluminou

Aqueci-me no calor dos braços
Colou meu coração pedaço por pedaço
E mesmo contra o sentimento acreditou em mim

mudei, dei a volta por cima
recuperei minha alma
e sequei meu pranto

LIÇÃO NA PROVA



"Nas provas com as quais te defrontas, aprende a lição que elas te descortinam ao espírito.Toda queda ensina muito.
Com o aprendizado de um único tropeço, conseguirás ficar de pé, em diversas experiências semelhantes.
A lágrima é um processo de limpeza da visão.
Não raro, é preciso que caias para que vejas os que renteiam contigo.
Apenas os que já sofreram na pele, sabem avaliar a intensidade da dor dos semelhantes.
Se não te revoltas, os reveses que sofras te conferirão intransferível conhecimento da Vida.
A dor que te quebranta é a mesma que te faz crescer!"
tem lições que servem em qqer tempo, e sempre estaremos passando por elas
.
.




algum momento de 2006

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

“A vida as vezes nos mostra algo, que não entendemos no ato, mas com certeza no futuro entenderemos, então não adianta o desespero antecipado, sempre haverá uma explicação para tudo que passamos.”

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Erva

Estranho como algo ronda sua mente, e dias e mais dias não sai do pensamento, e apareceu do nada.... eu diria que nesse caso é "roda viva" ai está o segredo da roda...
Não vou citar o Vô Chico, pois a sapiência não me permite, bem aos agnosios ...
http://www.google.com.br/

roda roda roda
e quando ve estas no mesmo lugar
tudo se repete como em roda gigante
estancado no mesmo suspirar

os mesmos sorrisos,
o grito, a risada dilacerante
e as maldades e carências
tudo roda em uma roda gigante

passando pelos mesmo lugares,
palavras sabores perigos sem o parecer
cultivam a roseira mas chega a erva daninha
fazendo tudo fenecer

e volta a roda viva a rodar
Foi tudo ilusão passageira
A vida é sugada a energia consumida
Erva daninha....Que cresces quando já desmerecida.

Move-te e gira a roda viva e leva a vida pra lá
À velocidade da luz imagens se repetem
vida real que um dia me fez sangrar
Feridas reabrem fazendo relembra

O dia que não amanheceu
vida real que se repete
Tudo aquilo que um dia padeceu
mas meu amor plantado cresce

Mas com a roda o amor morre
Partindo para outro lugar
eis que chega a roda viva
e leva o amor para lá...

Nossa diria que o poeta ("EU") pegou o "regador" e encheu de vinho a taça regando as palavras....

"Pai afaste de mim esse calece
Pai afaste de mim esse calece
de vinho tinto de sangue"


Mas as palavras são em vão não alcançam
pois a agnosia se repete......
Escondendo-se na sentença socrática "Só sei que nada sei"
pior nem de sócrates entende... ah é aquele jogador de futebol???????

domingo, 21 de outubro de 2007

Uma canção em poema representada na polêmica peça Teatral "Roda Viva", a música sem fantasia permance atual, demosntradando claramente o sentimento que rege as mulheres e os homens... porém era uma época em que as mulheres buscavam a valorização através da liberdade, hj vivem a confusão dos termos passaram de libertárias a libertinas.... desvalorizando-se a cada dia, oq faria Leia Diniz, Raquel de Queiroz, Anésia Pinheiro, Gilda de Abreu dentre outras ter vergonha de ser mulher nos dias atuais....
TOLA............................................................................VAGA

Vem, meu menino vadio, ....................................... Ah, eu quero te dizer
vem sem mentir pra você ................................ que o instante de te ver
Vem, mas vem ......................................................... custou tanto penar
sem fantasia, ........................................................ Não vou me arrepender,
que da noite pro dia ................................................. só vim te convencer
Você não vai crescer .................................. que eu vim pra não morrer
Vem, por favor não.................................................... De tanto te esperar,
evites meu amor, ........................................ quero te contar das chuvas
meus convites ............................................................................ que apanhei
Minha dor, meus apelos, ....................................... Das noites que varei
vou te envolver nos cabelos, ............................. no escuro a te buscar
Vem perde-te ............................................................. Eu quero te mostrar
em meus braços ...................................................... as marcas que ganhei
pelo amor de Deus ................................................ nas lutas contra o rei
Vem que eu ..................................................... Nas discussões com Deus,
te quero fraco, ............................................................ e agora que cheguei
vem que eu ........................................................... eu quero a recompensa
te quero tolo .................................................. Eu quero a prenda imensa
Vem que eu te quero todo meu ...............................dos carinhos teus

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Não acredito mais em nada
Nem em papai noel, nem duendes nem em contos de fada
Não acredito mais em pessoas
Não acredito mais no falar
Não acredito mais no escrever
Em pessoas que se vendem por nada
Que se vingam por nada
Que não dão valor a vida
mediocridade gera mediocridade
aprendi que palavras sempre serão meras palavras,
por mais belas que sejam…
nunca sairiam das linhas
a história se repete e quase ninguém ve
quase ninguem quer saber

terça-feira, 16 de outubro de 2007

O olhos veem o que queremos enxergar
O ouvido escuta o que queremos escutar
O Tato sente o que necessita
O cerebro interpreta os sentidos como lhe convém
E o coração vive a ilusão dos sentidos

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

PRO MANU
Anjo sem asas que veio do céu,
A beleza e o brilho que tu emanas,
Nada se compara nem se engana.
Doce olhar,
A natureza fez de ti perfeito
Âmago do teu ser é a luz que ilumina o ar.
Nada igual a tua pureza,
Inigualável beleza que tens,
a beleza da verdade,
Iluminando com teu brilho a escuridão
imagem divina,
A teus pés, tudo ilumina
A tua beleza é rara, pura
Como uma ave, teu espírito voa com liberdade
Cabelos tens longos ondulados
Jeitinho meigo e carinhoso,
Um sorriso acanhado e formoso.
Dos seus olhos um poema,
Ingênuo, puro e sem problemas
Amigo tu és, bom e verdadeiro,
Em todos os momentos és companheiro.
Doce, único e inteligente,
A tua alma por tudo isto, é valente
Verdadeiro ao falar e ao agir
coerência em atitudes e a sinceridade em palavras
Carrega o mundo em suas asas
Pensando bem..., o homem é um ser tranformador. Ele cria,e muda,e troca, porque suspeita que pode, a qualquer instante, senão está do agrado, se está desapontado, em meio a constantes metamorfoses, descobrir-se e, feito borboleta, voar...
Silêncio que fala
Viaje comigo...
Usa como teu passaporte a mente
E como teu transporte a imaginação....
Voe comigo
Por sobre o mundo e
Por sob o mundo....
Observar as imensuráveis palavras do vento...

Ou escutar as batidas do coração
Quantas palavras bate o coração?

Não sei, mas há palavras no coração
também letras e sons
apesar de som algum proferir,
Elas falam!
Elas te dizem: "Onde estavas quando fomos formadas?"
Voe comigo mais uma vez...
Veja o campo...
Veja os lírios nele...
Preste atenção novamente...
Eles falam!
O que dizem? "Onde estavas quando fomos aqui plantados?"
Voe comigo
Por sob a terra ...
O que vês?
Nada?
Preste atenção.....
Há um sol aqui...
Um sol, que também está em silêncio,
Escuta! Ele fala!
O quê? "Onde estavas quando fui incendiado?"
Voe só mais esta vez comigo...
Voe alto agora...
Veja a Terra por inteiro...
Não deixe de notar
O céu, o pôr-do-sol
Dizendo em silêncio:
"Onde estava quando fui pintado?"
repare nas nuvens que Sem boca
Dizem: "Onde estavas tu quando evaporamos pela primeira vez?"
Note as estrelas à sua frente
lhe dizem: "Onde estavas tu quando nos acenderam?"
Agora pare! Volte-se! E olhe!
Onde estavas....
Nem sempre silêncio é falta...
Observe tudo à sua volta,
Agora que voltamos da viagem.....
A maior parte está em silêncio profundo e imutável....
Mas fala!
Fala do Amor....
Fala da vida ....

o silencio é musica no momento certo

sábado, 13 de outubro de 2007


Renasci do incêndio dos dias mortos quando não sentia mais ódio, nem rancor, nem medo tudo o que é humano me era estranho.
Senti-me vivo pela primeira quando meu coração liberto bateu
Como nos tempos em que brincava entre crianças era leve e alegre.
Em meio à inocência era sereno e humilde, renasci como os que perderam tudo
me livro dos que nunca se encontraram.
me encontrei nessa vida
Então senti que tudo vibra e tudo é UM nas estrelas como nos vermes, e tudo gira e tudo muda na ordem das esferas celestes.
Uma vez que via a Fênix do meu Ser renascer dos escombros de mim nunca mais fui infeliz no esplendor do mundo










Sinto falta
do que não
se sabe
de algo que
não se lembra
do que
Já se viveu....
falta q está
gravada na alma
restos de outro viver
Um palco Escuro, Silêncio
Um foco que, tenuamente,
ilumina dois vultos
Perfil de um homem...
Um corpo... um só
Aquele som... aquele guitarra... Música
As cordas, os dedos, as sombras
Chora... Cigano
Um sobrolho franzido...
Sentido Agressivo Dorido
Doce .......Tenso... Intenso
Um corpo que se funde com outro
No escuro... mãos iluminadas
Ritmos..... A tempo... contra-tempo
Sincopado, cadenciado, alternado
Coordenado, uno
Tenso... Intenso
Mãos, Palmas... Vultos, perfis
Luz ténue acões, batidas
Cigano
Corpos, dança, música
Expressão e Suor

rostos endurecidos...
Sentido Agressivo Dorilodo....Doce
Um Homem Uma Mulher
Tensos... Intensos
Corpos que se querem
Que se desejam
Que não podem
Perto, quase...
Longe de novo
Uma mão que resvala numa cintura insinuante
Lábios que quase se tocam... quase
Olhares... olhos franzidos
Provocação Mágoa
Querer...
não poder
Batidas de pés... do coração
Tenso... Intenso
aquele som...

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Sentimento de posse

Um mais que querer
Sentimento de ter
Sem nada a oferecer
Não quer perder
Não deixa ir
Necessita que te ame
Mas não corresponde,
Mas não ama
Não liberta, aprisiona
Não deixa livre para poder seguir o caminho
Quer que continue em sua estrada
Não permite que toquem
Mas não quer tocar
Não deixa que beijem,
Mas não quer beijar
Acorrenta em sua jaula
Encarcera nesse amor
Prende em uma redoma
A espera do que eu não sei
Se não tem amor a oferecer
Deixe-me ir
me liberte

escrito em 17 dezembro 2006 1:02 PM
Dos espinhos sangrei na alma
Dos espinhos colhi a calma
Dos espinhos que colhi
Fiz pincéis no meu quadro da vida
Talhei como se fossem estiletes
O meu presente reticente displicente mas coerente...
Dor pelo não reconhecimento
Dor pelo desafeto...
Dos espinhos transformei em sementes
Sementes de tolerância de aprendizagem,
Pois dos espinhos
Mesmo sendo causadores de dores tenazes
com eles aprendi a encontrar o caminho da minha felicidade...

http://fotolog.terra.com.br/oculta:86

terça-feira, 9 de outubro de 2007

um pássaro que é único
a encantadora fênix
bico longo e muito duro,
perfurado com uma centena de orifícios,
como uma flauta.
De cada abertura um som diferente,
cada um desses sons um segredo particular,
sutil e profundo.
A fênix conhece a hora de sua morte.
no momento de retirar o seu coração do mundo,
constrói uma pira reunindo ao redor de si lenha e folhas de palmeira.
Quando lhe resta apenas um sopro de vida,
bate suas asas e agita suas plumas,
movimento produz-se um fogo que transforma seu estado.
quando a pira foi consumida e a última centelha se extingue,
uma pequena fênix desperta do leito de cinzas.
O renascimento após a morte
o PODER INTERIOR.
Quantas e quantas vezes não morri?
E quantas e quantas vezes não renasceram em mim as asas?
felicidade nas coisas materiais
e não em conceitos filosóficos,
felicidade no ter
e não no ser.
a felicidade um estado de ânimo,
sensação de paz interior
percepção de união com o Todo.
sensação de sermos amados pelo Pai.
sensação de aliviar o sofrimento de outro ser
a felicidade, mesmo que fugaz, está onde nós a colocamos,
a sensação de felicidade é a forma de encarar a vida.
Sofrimento não significa infelicidade
momentos infelizes podem ser felizes
pois as experiências servem de estrutura para o espírito.
verdadeira felicidade nas coisas materiais?
não ... ela existe completa e única no nosso interior.

domingo, 7 de outubro de 2007

"Assim como a semente traça a forma e o destino da árvore, os teus próprios desejos é que te configuram a vida." (Emmanuel)

terça-feira, 2 de outubro de 2007

INTERESSE

o interesse é o que se pode receber em troca por se dar
Interesse pelo que é caro e bonito
sorrisos que não se dão
por não ganhar nada em troca
a vida uma troca de interesse
Um mundo de interesses e joguinhos
sonhos comprados pelo cartão de crédito.
falsa sinceridade e cumplicidade
Fada sua q despencou do céu
asa quebrada
Utopia
ouro é riqueza pelo respeito a vida,
pelas pessoas…
riqueza de dar valor aos sentimentos humanos,
aos valores primordiais
dar, sem a prisão do interesse! ...

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Enquanto vc é a dúvida eu sou a certeza...

Eu sou a vela q acende
o caminho a iluminar
a luz que guia
de noite e de dia
o pão que alimenta
a mão que estende
o abraço que acalma
tudo que toca na alma
sou colo sou abrigo
a estrela que guia
o chão que sustenta
a força que faz cantar
a vida que se inicia
a vida em uma canção
o amor e a emoção
eu sou o tudo vc é o nada

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Amor é algo que se sente independente da vontade de alguém
e é um sentimento muito pessoal
é como uma impressão digital
por isso não existirão nunca dois amores iguais
Amor não é para ser entendido
nem correspondido
Amor é para ser vivido
compartilhado.
Nunca cobrado
Sempre oferecido......

domingo, 16 de setembro de 2007

Eu farei minha viagem através da eternidade
E guardarei a lembrança de nós dois aqui dentro
Cumpra seu destino
Minha tempestade jamais passará
Minha fé está com o vento
Com o rei de copas, com o curinga
Mas nós simplesmente não dizemos adeus
Pois encontrei um sonho que deve se tornar realidade
Mas você era meu único sonho
Há uma visão e uma chama em mim
Eu guardo a lembrança de nós dois aqui dentro
E nós simplesmente não dizemos adeus
Com todo meu amor por você
E como o que mais façamos
Não dizemos adeus

sábado, 15 de setembro de 2007

Todo pensamento me revela nova forma, um outro som,
Uma outra cor, um outro tom, uma outra dor, outra
Loucura.

Limpa o pensamento que folhei a linda fábula
Grandiosa,
Irreverente em verso e prosa que alucina e que
Tortura.
Por onde andarão os outros lunáticos
Os mesmos patéticos, e seus ridículos discursos.
Quando chavam-se idolatria, poesia, sobrenome,
Dispudor, por alcunha, arte.
Por onde foi o pensamento meu que me fez lembrar, me fez viver
A criação e a gestação de um filho que não veio ao
Mundo ainda.
Fez me crer no amor, na direção, da contramão.
Um pensamento novo, é o velho caminhar ao amanhecer.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Estamos a salvo e protegido onde quer que vamos. Sigamos o coração, a Alegria. A vida é para ser vivida, e o viver, experienciado. Soltemos o controle e o medo. Sim, seria uma aventura e uma mudança, mas estas são experiências de crescimento. Sintamos a energia, testamos as águas. Caminhemos com o coração! Não deixemos que os pensamentos do futuro atrapalhem. O futuro se desdobra como o plano de Deus. E quando seguirmos para onde somos guiado, em Amor, sem Medo, sabendo que Deus o proverá, então seremos livre.

sábado, 1 de setembro de 2007


Espero que a chegada do mês de setembro nos traga PAZ.
A transformação dos maus sentimentos e sofrimentos em Esperança!
Esperança de mudanças para melhor.
De Evolução!

terça-feira, 28 de agosto de 2007

o amor tem a mania da sincronia. Pune quem se antecipa ou chega atrasado. Logo o amor que não é para ter tempo sempre anda com um relógio cardíaco no pulso. Diz que o tempo não importa, mas é o primeiro a condenar a perda de tempo. Diz que o tempo não separa, mas não se mexe quando a distância toma conta.Quando o homem declara antecipadamente seu amor a uma mulher, ela vai odiá-lo por isso. E até esnobá-lo. Se ela se declara antes, ele vai castigá-la com a indiferença. Não é curioso?

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Espírito livre

...Espírito livre, coração rebelde, pensamento caótico... Não ando por caminhos traçados. Eu traço meus caminhos, gosto de criar minhas trilhas e seguir meu rumo. o dono de mim são meu sonhos... Não gosto de me prender a horários ou compromissos marcados, minha vontade é meu guia... Meus sonhos minha bússsola... Os amigos meu ancoradouro... Meus pais meu porto seguro... Sigo em busca do meu NORTE... Alguns pessoas passam a vida toda correndo insanamente atrás da felicidade, enquanto outros a criam. A felicidade existe dentro de mim, por isso não preciso busca-la em outras pessoas. Já me decepcinoei, já trairam minha confiança, já me decepcionaram, sabe como reagi??? Com um sorriso, não mudei minha natureza por alguém um dia ter me decepcionado. Minha natureza é assim, sorrir, caminhar, sonhar, viver.....

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

prefiro os desajustados noturnos do que aqueles que não sabem amanhecer (cazuza)

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Quem sou eu? Descobri que gosto de colocar em palavras o que tenho no coração! Acredito no amor em todas as suas formas. Busco crescimento pessoal, observo, aprendo, caio, levanto,amo, deixo de amar, vivo ! Alias é isso mesmo que eu faço: VIVO!
Amo as letras, com que transformo um sentimento em palavras de carinho e amor. Amo a Vida, porque é minha.
Palavras não ditas
Palavras já removidas
Palavras que nunca repetirei.
Existem folhas em branco,
que me fazem calar,
Dessas eu quero esquecer,
Existem momentos tristes
Momentos só meus
que fazem sofrer...
não, que fizeram sofrer
Desses eu hei de esquecer

domingo, 24 de junho de 2007

"É chegada a hora.... não existe crescimento sem dor"
Fernando Anitelli

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Pés firmes /machucados mas decididos
Conduzindo o corpo doído /para o caminho certo
Alma (ainda) com restos de dor /alma translúcida do bem e forte
Mãos fortes e dedos frouxos /seguimentos de braços firmes
Veias salientes /do sangue que corre e a faz mais forte
Instantes silentes /onde o som do silêncio ecoa
Decisivas ações /decidindo pelo sim...eu vou
Teste de fé /onde o Mestre é testemunha
Esperança à prova /que renasce
Vida renovada /e esperançosa
Busca do norte /rumo certo
Antes que a ternura /Decrete sua morte.
ternura eterna /se eleva nela

quinta-feira, 21 de junho de 2007

As pessoas na tentativa de serem perfeitas, serem heróis, acabam se tornando, pequenas, mesquinhas, depressivas.... Na tentativa de serem o máximo tornam-se o mínimo.. Na tentativa de terem o máximo, acabam com o mínimo, vivendo com mínimo O mímino de paz, o mínimo de amor...... O mínimo no sentido da vida...
Não quero ser héroi Os herois morrem jovens e sozinhos
MEU NORTE
Mesmo decidida, estruturada, consciente de meus deveres e direitos, diversas vezes me disseram que eu precisava me encontrar, encontar meu caminho e me LIBERTAR...
Mas qual era esse caminho??? E me libertar do que??? Talvez algo em meu subconsciente me dizia que necessitava encontar-me, buscar meu norte... Afinal pq a escolha desse nome no BLOG??? Sim em meu subconsciente essa procura existia...
Todos estão em busca do seu caminho do seu norte... resta saber o quê significa o norte de cada um....
Decidi que encontraria meu norte nem que tivesse que percorrer todos os pontos cardeais e colaterais, nem que tivesse que subir na montanha mais alta ou descer ao mais profundo dos abismos...
Não aguentei mais a pressão e gritei:
- Macacos me mordam, pelas barbas do profetas e por todas as outras interjeições de espanto e indignação, onde raios fica o norte????????? E oq é meu norte???
Nisso, um ser estranho de luz que estava ali ao meu lado e eu nem havia percebido, olhou para mim e com uma cara de quem falava a coisa mais óbvia do mundo disse:
- Como? Você não sabe? Nunca viu um livro de geografia? Todo mundo sabe que o norte é para cima!
Olhei para cima e caí em mim. Procurei a resposta em todos os lugares e ela estava ali, do meu lado. Meu norte era o céu, as nuvens, a luz do dia, enfim, a liberdade de olhar para outro lugar que não fosse o chão. Simplesmente o que eu já sabia e havia esquecido quando achei que não era boa o suficiente. Esqueci meu norte enquanto tentava encontrar o meu norte nos outros...
Acreditava que meu Norte era alguém... que uma pessoa seria meu guia, a direção a qual deveria seguir, sendo alguém meu norte, sempre estaria indo em direção a ela, mas deixaria de seguir o meu caminho, percorrer meu próprio caminho e ir sempre em direção a alguém. O meu norte é a minha casa, minha montanha, meu mar, meu céu, o lugar para qual eu devo seguir, o lugar a qual me faria estar em mim... feliz
Transferir essa responsabilidade a alguém, escolher alguém como meu norte, é ilusão pois se um dia esse norte faltar, vagarei a esmo, sem direção, pois já não existirá mais meu norte, estarei perdido, sem rumo...
Hj entendo oq escrevi em 05/06/06
Hj sei q eu tenho q sempre ter meu Norte e q a bússola serve para me guiar para o amor, mesmo que eu vá para o oeste, eu sempre vou saber onde fica meu norte...

mas parece que esses pontos cardeais não se comparam ao norte quando se fala em promover a felicidade humana na Terra....

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Ainda em busca do meu norte

Achei q tinha achado meu norte, mas ainda continuarei seguindo atrás dele... numa busca insana... quase beirando a loucura....

sábado, 5 de maio de 2007

OPORTUNIDADES
Novos rumos são traçados
Destinos são alterados
Dependendo da ação
Que gera a reação
E permite a oportunidade
Do perdão, da reconciliação,
Da união de almas perdidas
Enlaçadas umas às outras
Sem noção de tempo ou espaço
Perdidas em todo seu ódio
Soltas pelo espaço
Na decisão corajosa
No gesto de um amor
Ou mesmo de desamor
No turbilhão de emoções
Nova chance... oportunidade...
De se refazer estas almas
Almas benditas, almas irmãs
E que na dor, na solidão
Deste corpo que é prisão
Abençoará um dia
Depois da compreensão
O ato que, impensado
Modificou seus destinos

sábado, 28 de abril de 2007

Eu sou um poeta
e tenho que sentir dor
atrás dela sempre estou
não posso viver na alegria
na certeza
minha inspiração busco

na dor, na tristeza
vivo na incerteza
e atrás dela sempre estou
viajo atrás da minha tristeza ou minha inspiração
mas será que preciso sentir para escrever
fujo da alegria
o medo de perder minha inspiração me assola

corro atrás do que me fere
mas a dúvida me conforta
pois afinal o poeta é um "fingi"dor
cabe a ele pegar o "rega"dor e usa-lo para molhar as palavras
aprender a ser um fingir dor
ou então morrer de desamor
não posso viver sem tristeza
mas não liberto a minha alegria
preciso saber que ela está ali sempre a minha espera (RÊ GOMES)

"O poeta é um fingidor. / Finge tão completamente / Que chega a fingir que é dor / A dor que deveras sente. E os que lêem o que escreve, / Na dor lida sentem bem, / Não as duas que ele teve, / Mas só a que eles não têm.E assim nas calhas de roda / Gira, a entreter a razão, / Esse comboio de corda / Que se chama coração. (F. pessoa) "

"É claro que a vida é boa / e a alegria, a única indizível emoção / é calro que te acho linda / e em ti bendigo o amor das coisas simples / é calro que te amo / e tenho tudo pra ser feliz /
mas acontece que sou triste.... (V. de Moraes) "


vivendo nas entrelinhas da razão nossa eu piro demais, loucura dividida loucura mutiplicada